Simples, leve e lógico

As criações de Guilherme Wentz impressionam pela leveza do traço e pela racionalidade das forças. O ritmo coerente da natureza é que o inspira.

Considerado um dos designers em ascensão nas Américas, o gaúcho Guilherme Wentz apresenta um portfólio que já confirma a sua consolidação no mercado. Em apenas quatro anos de trajetória profissional, ele revelou o seu potencial e se firmou na carreira, com uma produção impressionante e premiada internacionalmente. Radicado em São Paulo, cria para grandes marcas e fortalece a sua própria, a Wentz, para produção de peças autorais.

NexDay_21_design-2
Peças de design autoral da primeira coleção desenvolvida pela Wentz, com marca própria lançada este ano. Madeira, latão, mármore e vidro soprado são trabalhados em formas puristas

Guilherme Wentz é um dos ‘Rising Talent’ das Américas anunciados na Maison & Objet 2016, realizada em maio, em Miami, Estados Unidos. O título representou o reconhecimento a uma produção que vinha sendo lapidada pelo designer desde quando visitou a feira pela primeira vez. “Há alguns anos, tracei o objetivo de evoluir meu trabalho para estar em uma exposição internacional como a ‘Rising Talent’. Diferentemente dos prêmios que nos inscrevemos para participar, essa é uma nomeação que eles vêm até você. Quando recebi a notícia, não poderia ter ficado mais contente”, conta Guilherme. Essa foi a primeira oportunidade fora do Brasil, que vem abrindo portas para trabalhos no exterior. Seu nome, no entanto, já era conhecido no meio internacional desde 2013, quando conquistou o primeiro iF Design Award da carreira com a Coleção K, sua estreia como designer de produto na Riva, indústria brasileira de design de luxo presente em 30 países.

NexDay_21_design-3
Estreia de Guilherme como designer de produto pela Riva, a coleção K conquistou o iF Design Award e o Brazil Design Award em 2013

Foi na fábrica da Riva, em Caxias do Sul – terra natal de Guilherme – que ele começou a carreira de designer. “Procurei a empresa e pedi por uma oportunidade de trabalho porque admirava a forma como trabalham com o design assinado e valorizam a inovação. Comecei como designer gráfico, que era a vaga disponível na época, e, aos poucos, fui me envolvendo também com produto, primeiro colaborando no desenvolvimento de projetos de designers externos e, mais tarde, assinando minhas primeiras peças”, revela. Foram dois anos de “escola” na Riva, como ele mesmo diz. “Essa experiência me deu uma visão mais ampla de marca e das lógicas de mercado. A oportunidade que tive de trabalhar com design gráfico, fotografia e produto – e talvez até meus anos de Administração de Empresas – me faz buscar uma visão 360 graus do design”, considera. Antes de se formar em Design Industrial pela Universidade de Caxias do Sul, no final de 2012, Guilherme chegou a cursar Administração de Empresas na mesma instituição. “Foi o contato com a natureza e a busca por uma vida mais simples e livre de paradigmas que me levaram ao design. É isso que tento expressar em cada trabalho, e agora também como filosofia da Wentz”, explica. Ainda como estudante, Guilherme também “bateu nas portas” da Decameron e da Lumini e, desde então, vem trabalhando para essas marcas.

NexDay_21_design-4
Criada para a Lumini, a Luminária UM rendeu mais duas importantes premiações para o designer em 2016: o iF Design Award e o primeiro lugar no Prêmio Museu da Casa Brasileira na categoria luminárias

A mudança para São Paulo aconteceu a convite do designer Marcus Ferreira, para assumir a direção de arte das marcas Decameron e Carbono, ambas de propriedade dele. “Desde que comecei a me envolver com a direção de arte e estratégia de outras empresas, tinha o objetivo de desenvolver minha própria marca e me comunicar diretamente com o público que compartilha das mesmas filosofias de vida e design”, diz. Assim, em agosto de 2016, durante a São Paulo Design Weekend, Guilherme lançou a primeira coleção desenvolvida por ele pela Wentz,  projeto que vinha amadurecendo há alguns anos em parceria com o amigo Rafael Gehrke, administrador de empresas. “O próximo passo é criar mais produtos e levar a produção nacional para fora do país”, afirma com determinação.

 


Jornalista: Tatiana Cruz
Fotos: Guilherme Wetz / Divulgação
Revista Nex Day – 21ª edição

Compartilhe:


Artigos similares

Qual é o seu estilo de morar?

Ser despojado, esportivo, excêntrico, moderno, prático ou tecnologicamente avançado é imprimir a sua marca,...

No mundo do faz de conta

Fundamentais para o desenvolvimento infantil, as fábulas estimulam o pensar criativo e são...

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

Comentar *

Nome *

Email *

Website *

Copied!